Não traumatize uma criança!

22 fev

…Muito menos seu filho, seu irmão, seu primo…crianças que você ama e quer bem!

Quando somos criança temos o ouvido muito aguçado, estamos ali, brincando com a bonequinha ou com o carinho…mas com o ouvido grudado no papo dos adultos.

Eu fui assim, minha irmã é, minhas sobrinhas, minha enteada…enfim, todas as crianças do meu convívio.

Porém tem coisas que elas ouvem que podem traumatizar, veja o que rolou comigo dia desses…

Estávamos em um churras, quando marido saiu para comprar um uísque e voltou com a Nicole. A festa não estava no começo e quando ela chegou o pessoal já estava meio alterado, cantando, conversando alto, zuando, mas não davam vexame, tipo vomitando e etc.

Assim que ela chegou no churras, veio até mim e GRUDOU na minha perna, chorava desesperadamente, aquele choro de soluçar sabe? Consegui fazer ela largar a perna e abraçá-la, perguntei o que tinha acontecido, porque ela estava daquele jeito e a única coisa que ela repetia era:

– Me leva embora, eu quero ir pra casa, não quero ficar aqui…me leva, por favor.

Consegui acalmá-la um pouco, peguei o carro e levei ela para casa (era perto), no caminho perguntei se tudo isso era por causa do tio, que ela comentou uma vez ter visto jogado no portão de casa, desacordado de tanto beber…ela disse que também era, mas que não queria ficar ali e ver o pai dela passar mal (o pai dela nunca passou mal perto dela).

Ela disse que não gosta de gente que bebe, porque “eles” mudam e ficam estranhos. Expliquei que não é porque o tio dela bebeu e não se controlou que todos eram assim, que pessoas eram diferentes…(tentei fazer uma lavagem na mente). Ela disse que quando o pai bebe ele fica muito diferente e ela não gosta, e o Davi (padrastro) uma vez bebeu com os amigos e chegou em casa caindo, daí a mãe  dela deixou ele na sala com um balde pra ele vomitar.

O que eu percebi é que ela morre de medo de ver as pessoas que ela gosta nessa situação delicada…Mas não teve jeito, tive que levar ela embora…

Mais tarde o Alex ligou pra mãe dela pra explicar o que aconteceu e saber sobre esta história do padrasto…ela explicou que a Nicole nunca viu o Davi bêbado e nem o próprio tio…mas nas duas situações o papo era de adulto e ela estava ouvindo. OU SEJA, montou toda a cena em sua cabeça e agora não tem quem tire essa neura dela!

Inclusive a mãe dela até comentou que ela já fez essa cena de desespero com ela, mas que nunca tinha feito conosco (e olha que a gente só sai pra festas assim). Até tivemos um casamento e ela não quis ir, quando avisamos que teria bebida.

Sempre que bebíamos e ela ficava conosco a única preocupação dela era EU dirigir. Nós mal entrávamos no carro e ela já ia falando:

– Van, você vai dirigir né? Papai, a Vanessa que vai dirigir viu?!

A mãe dela contou que uma vez ela chegou falando que o papai estava bebendo e estava entranho. E que eu estava bebendo também, mas depois tomei refrigerante e fiquei beleza.

Ou seja, ela sabe que não havia perigo eu pegar o carro, porque eu sempre bebo uns refri quando sinto que estou ficando estranha, hehe

É delicado, mas traumatiza!

OBS: Ressalto que o “estranho” que ela diz, é estar alegre, falando alto, rindo, zuando…e não trançando as pernas, caindo e etc!

Fica a dica: Sempre veja se tem alguma criança por perto, ouvindo o papo dos adultos. Veja se sua postura é uma postura que seu filho, sobrinho, primo e outros, irá se orgulhar, principalmente se eles estiverem no mesmo ambiente e se neste ambiente rolar bebida alcoólica ou qualquer coisa coisa ilegal para as crianças. E o principal, não ofereça bebida alcoólica à menores!

E você, tem alguma história de trauma infantil para contar? Divida com a gente, vamos expandir este papo e trocar experiências =)

Beijos * Van *


Acompanhe o Blog através das Redes Sociais:

Anúncios

17 Respostas to “Não traumatize uma criança!”

  1. Dani Coelho 22/02/2011 às 11:28 #

    Van, isso é muito verdadeiro.
    Eu tenho 21 anos e até hoje tenho trauma por causa disso, meu pai bebia e hoje quando veja que tem gente tomando mais do que deveria (e isso é pouco) já não gosto de ficar perto. Meu marido sobre com isso, pois não quero que ele beba nunca, por mais que ele nunca tenha ficado bebado na minha frente, mas tomou mais de duas latas de cerveja já peço p/ parar.
    Beijos querida!

    • Vida de Esposa 24/02/2011 às 15:59 #

      Oi Danii

      Nossa sério? Preciso conversar com a Ni então, para que ela não traumatize tanto tbm =/

      Bju

  2. Andréa 22/02/2011 às 11:41 #

    É verdade, crianças prestam atenção em tudooooo….
    E pra mim nesse quesito bebida é bem complicado pq o nosso circulo de amizade é bem parecido com o seu Van…
    Nunca fiquei “alegre” perto da minha filha, mas meu namorado já… e ela diz q ele fica estranho tbm e não gosta.. (aliás eu tbm não suporto meu amore “beldo” pq ele fala sem parar e não tem “filtro” qdo fala..)
    Na presença da minha filhota procuro ser exemplo… mas as vezes na festa nem todo mundo pensa nas crinaças não é mesmo??
    Dia desses a gente foi num niver de uma amiga nossa… a festa tinha começado as 15:00 e a gente chegou lá umas 21:00h… (imagina o grau do povo…)
    Aí todo mundo sentou em círculo e começaram a contar piadas…. xiiii.. já viu né! Queria tapar os ouvidos da minha pekena, mas num deu né… =/
    Depois de umas 3 piadas… ela veio me perguntar o q era “toba”…kkkkk
    Fikei passada! Inventei q era um “pedrinha”… afinal ia falar o q pra ela né?!
    Mas dependendo da festa e das pessoas evito levar a pekena…
    Bjos

    • Vida de Esposa 24/02/2011 às 15:58 #

      Deia, seu love é bem parecido com o meu….kkk, fica bebado e bobo, enchendo o saco, rsrs

      Ri horrores imaginando sua filha perguntando o que era topa?! rsrsrs

      Beijos

  3. Cláudia André 22/02/2011 às 11:46 #

    oi Van, eu tb tenho trauma de bebeidas, meu pai bebe mais nunca ficou agresivo ao contrario ficava bem caridoso, dava dinheiro, presentes e demostrava mais os sentimentos, mais p mim era horrivel pois tinha e tenho vergonha de ve-lo assim, me envergonhava os outros perceberem o seu estado, eu odeio cerveja, pois ela é o caminho p outras bebidas, porem gosto de vinho tinto, mais só tomo uma vez no ano e duas taças já é o suficiente, se a pessoa necessita mesmo que seja um ml por dia já é considerada alcoolica pela medicina…. tenho verdadeiro pavor a bebados…..bjokas

  4. £ua 22/02/2011 às 12:07 #

    Ééé criança é um bichinho curioso mesmo.

    Temos que nos policiar sobre tudo o que falamos e fazemos perto deles, afinal somos o espelho né…

    Estou treinando para isso! rsrsrsrs

    Bjus
    £ua

  5. Xanda 22/02/2011 às 13:19 #

    Me identifiquei muito com essa criança do texto. Pq vi meu pai passando uma vida bebendo e ele se tornava uma pessoa que eu não reconhecia. E mesmo hoje depois me sinto incomodada perto de alguem que esteja bebendo. Não gosto não me sinto bem…

    • Vida de Esposa 24/02/2011 às 9:27 #

      Oi moça, antes de mais nada Bem Vinda =)

      É fogo né?! Acredito que a Nicole vai crescer assim…vou tentar conversar mais com ela, para que ela melhore sua posição.

      Beijoss

  6. Luciana 22/02/2011 às 16:00 #

    Van, vc não imagina o quanto isso é complicado. O quanto a cabeça de uma criança cria, fantasia… temos que ter controle de tudo, tudo… o menor detalhe eles pegam e transformam aquilo no bicho papão da vez. É importante esar sempre conversando com a Nicole sobre isso para que ela perca esse pânico… beijo

    • Vida de Esposa 24/02/2011 às 8:51 #

      Oi Lú

      É então, pegamos essa no último final de semana, mas não toquei no assunto….fiquei com medo de ela achar alguma coisa e ficar meio assim em conversar. Quando estivermos à sos vou falar de novo, vamos ver.

      A mãe dela está ajudando tbm, vamos ver se ela melhora, tomare! rsrs

      Bjuu

  7. Fabi 23/02/2011 às 9:20 #

    Affff eu lembro de quando era criança,meu pai e meus tios praticamente faziam do natal e reveillon uma fez só,começava na véspera de ntal e só acabado no finalzinho de dia 1º de janeiro(isso se no dia 2 fosse dia de semana)
    Eles lotavam freezer de cerveja,velho barreiro e afins enchiam a cara logo pela manhã e ficaram feios na foto.
    Lembro de um dia que meu pai e um tio começaram a brigar pra ver quem iria sair pra buscar mais cerveja,meu pai tava com uma faquinha de mesa na mão e passou na perna do meu tio.Teve até que dar pontos.
    Hoje meu pai não bebe mais nada de álcool,ainda bem viu.
    Eu nunca nem experimentei cerveja,nem nada de álcool,meu vicio é coca-cola e graças a Deus o marido só bebe lá de vez em quando.Mas nunca saiu da linha.
    Meu filho nunca viu o pai bêbado,ele já ficou alegrinho na frente dele,mas bêbado nunquinha.

    Bjss

    • Vida de Esposa 24/02/2011 às 8:49 #

      Oi Fabii

      Nossa que cena hein, imagino o que vcs pensavam e ficavam até com medo né?! Já vi meu pai alegrinho tbm e mesmo assim a gente meio que se “decepciona” né?

      Ainda bem que seu marido nem bebe e tal, melhor pro filhote e pra ele tbm né?!

      Bjuu

  8. Rafael Rez Oliveira 24/02/2011 às 16:40 #

    Van, é isso aí!

    O povo esquece que quem tem filhos tem RESPONSABILIDADE. Levam os filhos para as festas, churrascos e continuam vivendo como de fossem solteiros, enchendo a cara e dando vexame.

    As crianças devem sim ter convívio com os adultos e saber que os hábitos dos adultos são diferentes, mas tudo com muito conversa. Chegar em casa vomitando, num estado deplorável, na frente de uma criança é um comportamento bem ridículo, típico de quem não dá a mínima para a família.

    “Seja a mudança que você quer para o mundo”.

    • Vida de Esposa 25/02/2011 às 13:57 #

      É então, a gente vê muito disso, mas temos que nos controlar. Eu quando tiver meus filhos, quero ser bem consciente nessa parte =)

      Tô tentando ajudar a Nicole, vamos ver se ela melhora =)

      Bjuu

  9. André 25/02/2011 às 0:37 #

    Fiquei preocupado vendo os comentários e pensei… “Putz… fudeu… acho q a Bê nunca vai beber então… cada mau exemplo q ela tem na família.” 🙂

    Falando sério… esse negócio da Nicole, até hj eu tenho. Eu juro q tenho lembranças de coisas q eu não presenciei, mas como foi traumatizante, então ficou como se eu tivesse visto a cena. E é por isso q eu não suporto nem o cheiro de cachaça, mal conheci meu avô, mas “lembro” de algumas coisas pelas históras q ouvia qdo criança. Muito estranho, porém é real mesmo.

    • Vida de Esposa 25/02/2011 às 13:55 #

      Tá vendo, tá vendo…rsrss

      Ainda bem que a Bê já tá acostumada, imagina se ela fosse igual a Nicole, tava ferrado, rsrs.

      Bju

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: